Agricultura – Israel e Santa Catarina buscam parcerias na agrícola

24 de julho de 2014

O cônsul de Israel, Yoel Barnea, visitou a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) na manhã desta terça-feira (22), onde foi recepcionado pelo secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, pelo presidente da Empresa, Luiz Ademir Hessmann, e pelos diretores Luiz Antonio Palladini e Paulo Roberto Arruda. O objetivo do encontro foi aproximar Santa Catarina e Israel, além de identificar áreas de interesse para firmar parcerias e promover missões técnicas na área agropecuária.

“Há problemas a serem resolvidos na nossa economia agrícola e Israel já fez o dever de casa em algumas dessas áreas. O intercâmbio e a troca de conhecimentos inspiram as pessoas a enxergar a realidade com outra lente”, disse Spies. No encontro, o secretário apresentou as potencialidades econômicas de Santa Catarina e destacou a importân

cia da agricultura familiar nesse contexto. “Temos 200 mil propriedades rurais e 90% delas têm menos de 50 hectares. O Estado já desfez a imagem de que a agricultura familiar é sinônimo de agricultura pobre, pois essas propriedades desenvolvem atividades com alta densidade econômica e integram cadeias produtivas muito bem organizadas”, ressaltou.

Spies apresentou ao Cônsul números da produção de arroz, maçã, cebola, alho, banana, uva, pêssego, grãos, suínos, aves, pescados, leite, mariscos e ostras. Yoel Barnea também conheceu um pouco das características geográficas e culturais do Estado e do trabalho de preservação ambiental.

Caminhos de cooperação

O Cônsul, que está pela primeira vez em Santa Catarina, se disse impressionado com as informações. “Saio rico em material e conhecimento”, afirmou. Segundo ele, Israel e Santa Catarina podem encontrar diversos caminhos de cooperação. “Somos um Estado com 22 mil quilômetros quadrados e temos uma população de 8 milhões de habitantes. Temos áreas bastante áridas para desenvolver a agricultura. Esse setor corresponde a 5% ou 6% da economia israelense e nossa produção, estruturada em kibutz e mochav, também se baseia muito no cooperativismo”, relatou.

A produção de leite do país é um dos destaques. “A vaca israelense produz 12 mil litros por ano. Esse é um tema em que nossa tecnologia está bem avançada e no qual podemos colaborar”, destacou. “Também desenvolvemos bastante a produção de vinhos nos últimos dois anos e exportamos frutas e legumes para Estados Unidos e Europa, principalmente.”

O presidente da Epagri, Luiz Hessmann, disse que o próximo passo é definir áreas prioritárias de cooperação. “Captação, armazenamento e uso da água é um tema que faz parte das nossas preocupações e Israel tem um bom exemplo nessa área”, destacou. O dirigente também apresentou o vídeo institucional da Empresa, entregou ao Cônsul um exemplar do Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina e publicações como o Balanço Social, o Catálogo de Cultivares e a revista Agropecuária Catarinense.

Além do uso eficiente da água, o diretor de pesquisa da Epagri, Luiz Palladini, destacou a mecanização agrícola e o cultivo protegido como temas em que Israel pode colaborar com o Estado. “Podemos dar um salto muito rápido nessas áreas com a colaboração dos israelenses”, avaliou.

Você pode gostar…

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.